Unibave propõe projeto de consórcio intermunicipal voltado ao turismo

O Centro Universitário Barriga Verde – Unibave, juntamente com a prefeitura municipal de Orleans, realizaram nesta tarde, 01, a primeira reunião com os municípios interessados em participar do consórcio intermunicipal voltado a promoção do turismo na região das Encostas da Serra Geral, o “Circuito Serra Geral Catarinense”. O projeto prevê o estudo de viabilidade para roteiros, planilha de navegação, delimitação de percursos e levantamento da rede de apoio turístico como estabelecimentos de gastronomia, hotéis e pousadas.

O consórcio esta pensado para atender nove municípios, Braço do Norte, Pedras Grandes, Orleans, Gravatal, Bom Jardim, Lauro Muller, São Ludgero, Urubici e Grão Pará. O investimento inicial do projeto é de pouco mais de 80 mil reais e busca-se trabalhar com os mesmos princípios utilizados para definição do destino turístico “Vale Europeu”. “Nos últimos doze anos o Vale Eropeu, recebeu, apenas com o projeto de ciclo turismo, mais de 25.000 turistas diretos, sendo que o ticket médio de gastos locais gira em torno de R$ 2.000,00”, destacou o proprietário da operadora de turismo Biketur, Alexandre Gomes, parceiro do Unibave na execução do projeto.

“Estamos entrando como entidade articuladora deste projeto que tem como principal viés o desenvolvimento econômico local e regional, propiciando aos pequenos municípios a geração de renda por meio de um produto global que é o turismo”, completou o pró-reitor de pós-graduação, pesquisa e extensão do Unibave, Dimas Ailton Rocha.

“A ideia surgiu a partir de uma conversa com o gabinete da prefeitura municipal de Orleans, desenvolvemos a parte técnica e agora levaremos para o mercado”, disse o reitor Elcio Willemann.

O projeto apresentado nesta tarde aos prefeitos municipais, passa ainda pela validação de outros representantes dos municípios que não puderam estar presentes, o próximo passo é para que as assessorias jurídicas destes municípios para que validem a proposta de consórcio e posteriormente os projetos devem passar pelas respectivas câmaras de vereadores.

Colaboração: Marcos Dalmoro / Ascom UNIBAVE

Compartilhar