FHSO de Orleans apresenta balanço financeiro referente ao mês de Março e discute ações para problemas financeiros

9

Uma reunião foi realizada na noite desta quarta-feira, 25, nas dependências da Fundação Hospitalar Santa Otília, de Orleans.

Na oportunidade logo após as palavras iniciais do presidente da entidade, Mario José Antônio Salvador, que ressaltou que a entidade conta com um novo profissional no setor financeiro e dois novos contadores, solicitou a responsável pelo setor financeiro que apresentasse o balanço financeiro referente ao mês de março de 2017.

A responsável pelo Setor Financeiro da entidade Kethury Bardini, ressaltou que esta atuando como responsável pelo setor financeiro desde o dia 20 de fevereiro de 2018. Ela afirmou que encontrou alguma dificuldade para chegar aos dados demostrados e se colocou a disposição para qualquer pessoa que queira mais informações referentes ao seu setor.

Ela comentou que a entidade está utilizando um programa especifico para realizar cálculos. A Receita total do mês de maço foi de R$ 376.469,45. No referido mês cerca de 121.963,55 foram oriundos de serviços particulares, pronto socorro, ambulatório, aluguel e doação.

A origem dos demais valores você pode verificar abaixo:

Destes valores, os repasses do Pronto Socorro e Sobreaviso vem da Prefeitura Municipal, a maior fonte de recursos do Hospital.

Na sequencia ela apresentou detalhadamente aos presentes as despesas referente ao mês de março, que somaram um total de R$ 349.085,86.

Na sequencia foi apresentado o Balanço Patrimonial referente ao ano de 2017. Detalhando ativo e passivo da entidade, comparando com ano anterior. Conteúdo este que será analisado e posteriormente aprovado pelo Conselho da Entidade e Conselho Fiscal.

O presidente do Conselho Curador o prefeito Jorge Luiz Koch, ressaltou na oportunidade. “O Conselho Curador é responsável pela manutenção da Fundação, por isso ele elegeu uma mesa diretora que passa ser a Administração da entidade. Sou testemunha dos esforços da mesma”, colocou Koch afirmando que deveria ser uma representação participativa, mas que se acabou deixando para a diretoria.

Koch ainda comentou que a diretoria então contratou um administrador, o Fidelis, para ser o Diretor Administrativo, que a partir de fevereiro deste ano, foi então contratado um financeiro para atuar de agora em diante como estamos vendo a prestação de contas do mês de março”, ressaltou.

“O que percebemos, é que de acordo com os números do mês de março apresentados, a um equilíbrio. O que se tem garantido de entrada, é 200 mil mensais da prefeitura. Só que está se devendo um milhão dos anos anteriores e mais um milhão e meio de duas ações que veio contra o Hospital, então já deve dois milhões” pontuou Koch. Pois isso, a direção diante da realidade apresentada pediu ajuda do Conselho Curador, por isso estamos aqui.

Estamos enfrentado problemas graves como da maternidade desde fevereiro. “A Administração Municipal já passava 30 mil para a entidade contratar médicos, agora a Câmara aprovou 67 mil mensal para contratar mais médicos para atuar na maternidade”, explicou o gestor municipal.

A partir de setembro deste ano, quando abrir o Materno Infantil, de repente estaremos descredenciando a maternidade da Fundação, e os nascimentos deverão ser levados ao Materno Infantil em Criciúma” colocou o prefeito.

Participaram da reunião membros das entidades do município que formam um Conselho de Entidades . Entre elas, a Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores, Febave, Igreja Católica, Lions Clube, Sindicato Rural, Conselho Municipal de Saúde, Apae, Rede Feminina de Combate ao Câncer, Rotary Clube, Loja Maçônica São João Batista n. 14, Loja Maçônica Toneza Cascaes, CDL, Acio e OAB Subseção de Orleans.

Uma diretoria assumiu a entidade a cerca de um ano atrás, presidida pelo Mário José Antônio Salvador, com intuito de buscar soluções para os problemas financeiros enfrentados pela FHSO.

Na oportunidade em meados de março de 2017, uma divida superior a R$ 1 milhão com folha de pagamento e fornecedores foi amuniciada. No entanto devido a processos judiciais em andamento e informações em desencontro ao longo dos últimos meses, outros compromissos financeiros de longa data tem surgido e o valor da divida aumentado.

O presidente do Conselho Curador solicitou ao presidente da Fundação, que busque espaço na tribuna da Casa Legislativa para assim atender ao pedido de informações dos senhores vereadores e sanar duvidas sobre valores e profissionais contratados e financeiro da Fundação, bem como levar informações para a comunidade.

Por Gerciana Ascari – Imprensa News Sul